Debate Palmeiras

COMPARAÇÃO ENTRE CARILLE E ROGER MACHADO:

Corinthians x Palmeiras

ESQUEMA TÁTICO

Carille: O comandante alvinegro começou o ano decidido a trocar o 4-2-3-1, utilizado em 2017, pelo 4-1-4-1. A mudança visava potencializar Jadson, que já não estava rendendo bem aberto pelo lado direito do campo. Porém, depois de duas derrotas, Carille decidiu voltar à velha formação tática na última partida, diante do RB Brasil. Segundo o treinador corintiano, o esquema será mantido no Dérbi. O modelo de jogo segue igual: compactação e marcação por zona sem a bola, e triangulações e transições rápidas quando a equipe tem a posse.

Roger: Na maioria das oito partidas até aqui, o técnico palmeirense armou seu time no 4-1-4-1, com Felipe Melo entre as duas linhas de quatro, recebendo suporte defensivo tanto de Tchê Tchê quanto de Lucas Lima. Mas, em determinadas situações de jogo, ele recuou Tchê Tchê ao lado do volante para formar um 4-2-3-1, não sem perder a característica de marcação por zona e de subir ao campo de ataque por meio de associações de passes.

TREINAMENTOS

Carille: A rotina de trabalho do treinador é muito parecida com a de Tite. Os coletivos não fazem parte do cotidiano, nem os rachões. Ele costuma aplicar trabalhos táticos com seus titulares, às vezes sem adversário, dando ênfase à transição entre defesa e ataque e aos lances de bola parada. O técnico alterna a preparação do time com treinos específicos de posicionamento, para a defesa, e finalizações, para o ataque. Dá liberdade aos auxiliares Osmar Loss, Fabinho e Leandro Silva. Todas as atividades são abertas, e o técnico não costuma fazer mistério com a escalação.

Roger: Toda e qualquer movimentação em campo tem um sentido. Desde os trabalhos de aquecimento até a última sessão do dia, há um mesmo objetivo, que pode ser alguma correção de uma deficiência apresentada na partida anterior como também um ensaio específico para o próximo jogo. Bastante comunicativo, com tom de voz alto e ajuda de três auxiliares (Roberto Ribas, James Freitas e Andrey Lopes), ele utiliza uma lousa para explicar as atividades aos atletas. Assim que apita pela última vez, dirige-se para sua sala para assistir às imagens do treino feitas com drone.

APRIMORAMENTO PROFISSIONAL

Carille: Técnico afirma que gosta de ler bastante, apesar de não estar tendo muito tempo. No fim do ano passado, obteve a Licença Pro, nível mais alto do programa da CBF Academy. No passado, já disse que pretende passar um tempo na Europa estudando.

Roger: Formado em Educação Física, o ex-lateral obteve no final do ano passado a Licença A da CBF. Lê bastante, hábito que criou enquanto jogador por influência da irmã – que é professora de português e francês – e já rodou pela Europa para conhecer o trabalho de outros grandes clubes.

PARTICIPAÇÃO NA BUSCA POR REFORÇOS

Carille: Indica jogadores e liga para técnicos em busca de referências. Em algumas situações, também entra em contato com atletas, mas para falar de questões técnicas e táticas, não financeiras. Treinador tinha boa relação com o ex-presidente Roberto de Andrade e o ex-diretor de futebol Flávio Adauto. Ainda está conhecendo os métodos de trabalho e se adaptando ao novo presidente, Andrés Sanchez, e ao diretor Duílio Monteiro Alves.

Roger: Apesar de ter dado seu primeiro treino em janeiro de 2018, ele já havia sido anunciado e apresentado no final do ano passado, enquanto Alberto Valentim dirigia a equipe interinamente. Por isso, participou das conversas e avaliações com a diretoria sobre contratações para 2018.

Fonte: Globo.com


QUEM É MELHOR GALERA? COMENTE



COMPRE PRODUTOS DO VERDÃO COM DESCONTO ACESSANDO O BANNER ABAIXO:



GALERA QUE GOSTOU DO BLOG VEJA MAIS MATÉRIAS E OPINIÕES NA NOSSA PÁGINA INICIAL >> MAIS MATÉRIAS AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aprovamos comentários que expressam a opinião do leitor, comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG) serão excluídos.